Subscrever aqui a Revista iNNoble Wine por 14,99

99,9 pontos

Poliespan

Luís Giménez

Por Altor Tillas

Recebe muitas caixas de vinho em casa para degustação ou faz a degustação sobretudo noutros locais?

Tento reduzir ao mínimo o que provo em casa porque a logística, com o volume que tenho de fazer, é um horror. Mas durante a pandemia foi aterrador, provei 4.000 vinhos em casa num ano.

O que é que os teus vizinhos pensam quando te vêem a reciclar tantas garrafas? Algum deles pensou que tinhas um problema com o álcool? que tinhas um problema com o álcool?

Os meus vizinhos sabem exatamente o que eu faço. Sou o seu fornecedor de vinho. As garrafas, abertas ou furadas com o Coravin, distribuo-as por toda a gente que conheço. Outra coisa é a reciclagem do que bebo.

Tem de organizar a sua reciclagem?

Detesto o plástico e, sobretudo, o poliestireno, a cortiça branca que nos deixa cheios de bolinhas e que não é reciclável. Claro que tenho de organizar a reciclagem. Faz parte do glamour deste trabalho.

E o que é que eles acham do teu bigode?

O meu bigode faz parte da minha personalidade. Já não o posso rapar.

Com que música torturarias aqueles que te enviam vinhos em materiais não recicláveis?

Reguetón, sem dúvida, reguetón ou uma das suas variantes.

Já alguma vez pensou em montar um bar de vinhos com garrafas que sobraram?

Não, mas nunca deito vinho fora, a não ser que tenha uma rolha ou algo semelhante. Tento doar todas as garrafas que compro, independentemente do seu valor.

O que é que o incomoda nos envios de vinho? Caixas, embalagens...

É preciso ter em conta que, tendo de lidar com centenas de caixas e milhares de garrafas, qualquer pormenor pode tornar-se um pesadelo. Obviamente, o tipo de embalagem, mas também o facto de esta ir de uma forma ou de outra.

"Durante a pandemia foi aterrador, provei lt.000 vinhos em casa num ano.

que dificulta a abertura, a remoção de garrafas, etc. Parece um disparate, mas não é.

Enviam-lhe mais vinhos do que espera receber de cada adega?

Tento comprar apenas uma garrafa de cada, caso contrário ficaria inundado de restos de vinho. E nos poucos casos em que corre mal, peço outra.

Já alguma vez lhe enviaram vinhos sem planeado?

Raramente.

Já alguma vez provou de pijama?

E de todas as formas possíveis!

Prefere saborear um sítio específico?

Depende: encontro-me com enólogos em restaurantes de amigos, faço provas no local , nas adegas, nas regiões e, quando não tenho escolha, em casa.

Consegue saborear enquanto ouve música ou está rodeado de pessoas?

Com a música, sim. Com os enólogos, com quem dialogo para compreender melhor os seus vinhos, sim. Se houver muita gente e muito barulho, é mais difícil para mim.

O vinho de acordo com a música ou a música de acordo com o vinho?

Primeiro o vinho e, consoante o vinho, a música. Mas se tiver de ser ao contrário, também pode ser ao contrário!

Edita muito os seus artigos?

Não, a verdade é que saem de forma bastante espontânea. Verifico a ortografia e releio tudo no final para evitar repetições, etc., mas, em geral, corrijo muito pouco.

Quanto tempo pode demorar a terminar um artigo a partir do momento em que começa a provar vinhos?

Para as regiões maiores, tenho um par de meses. Estamos a falar de provar mais de 1.000 vinhos do Chile ou da Argentina e de viajar para o país. Para artigos curtos pode ser muito menos, uma questão de dias.

Que áreas gostaria de ter provado, para além das que tem atualmente em mente?

Ufa! Cada zona tem as suas particularidades, são todas diferentes e é difícil adaptarmo-nos, não é como se pudéssemos provar outra zona de um dia para o outro. Já tenho demasiado, não podia fazer mais e, por exemplo, a Borgonha, que adorava fazer, adorava fazer.

"Odeio o plástico e, sobretudo, o poliestireno, a cortiça branca que nos deixa cheios de bolinhas e que não é reciclável. Claro que tenho de organizar a reciclagem. Faz parte do glamour do trabalho.

-Teria muitos problemas logísticos, uma vez que vivo em Madrid e não em Beaune, como o meu colega William Kelley.

Porto ou xerez?

Porquê escolher? Ambos! Cada vinho tem o seu momento próprio, gosto da diversidade.

Jura ou xerez?

O mesmo que na pergunta anterior, ambos!

Tens mais ou menos amigos do que quando começaste isto?

O mundo do vinho é muito generoso e dá-nos a oportunidade de conhecer muitas pessoas. Conheci muitas pessoas desde que começámos o elmundovino.com no final de 1999.

Tens mais ou menos amigos do que quando começaste como "Parker Man"?

Trabalhar na Wine Advocate abriu-me as portas do Chile e da Argentina, que eu mal conhecia. Lá fiz amigos, claro, pessoas que têm as mesmas ideias e gostos que eu e, acima de tudo, deu-me a oportunidade de criar laços entre Espanha e o Chile e a Argentina. Pessoas de cá vão fazer vindimas lá e vice-versa, alguns começaram a fazer vinhos aqui ou lá... Isso dá-me uma grande satisfação, ter sido o catalisador desta união, que não existia quando comecei há dez anos.

Para si, iNNoble é...

Um festi... val!

Luis Gutiérrez. Quem é ele? Não olhem para ele se ele não olhar para vocês, não falem com ele se ele não falar convosco, nunca lhe virem as costas e, acima de tudo, não toquem nas suas bebidas.

Partilhar:

Subscreva a newsletter e receba um cupão de desconto de 10€!
10€ de desconto na nossa loja só por subscrever a newsletter

É maior de idade?

Se não o for, não o podemos deixar entrar